sexta-feira, 10 de maio de 2013

Vou sobreviver


Inicio dando graças ao SENHOR JESUS, pois, se não fosse Ele, com certeza, não estaria escrevendo este artigo agora (um mês faz hoje que retornei para meu lar).

Não vou entrar muito em detalhes sobre o que aconteceu comigo porque não gosto de descrever muito sobre minha vida pessoal na web, mas, o fato é que passei por um sério problema de saúde, com grandes possibilidades de ter ido a óbito, porém, o SENHOR JESUS pela sua infinita misericórdia e bondade não permitiu que isto acontecesse e salvou minha vida por pelo menos três vezes nestes últimos meses.


Problema manifestado, o primeiro livramento

Quando o problema de saúde se manifestou no meio da semana daquele 20 de março, eu teria de imediatamente ter me submetido a uma cirurgia de emergência, porém, tendo insistido em um equívoco, achando que o problema era outro, acabei por ser operado somente no final-de-semana. Este foi o primeiro livramento do SENHOR.


A primeira cirurgia, o segundo livramento

A cirurgia foi muito arriscada, uma parte meu intestino teve de ser retirada e um pouco da secreção afetou meus pulmões, tanto houve risco que o médico-cirurgião dirigindo-se a minha esposa sugeriu que ela orasse. Sim, orasse. E ela, sem perder tempo, através de algumas ligações telefônicas começou solicitar aos irmãos da congregação em que me reúno que também intercedessem por mim perante o SENHOR. E o SENHOR ouviu e guiou a equipe médica.

Na UTI

Terminada a cirurgia fui encaminhado para a UTI. Estava entubado. Durante aquele período me lembro de dois momentos: ter visto de uma forma, digamos, "meio nublada" minha esposa e um irmão e meu concunhado falando. O outro momento foi de ver, graças a Deus, aquele tubo sendo retirado da minha garganta, receber oxigênio e depois voltar a respirar normalmente. Porém, os dias que se passaram foram dias difíceis: praticamente não conseguia dormir, deitava-me em uma cama desproporcional ao meu tamanho, tive alucinações (talvez por causa dos medicamentos), luzes acesas que me incomodavam, muita movimentação na UTI, medicamentos que precisavam ser ministrados pelas enfermeiras e técnicas de enfermagem, que entravam e saiam a toda hora, sentia muita sede e não podia beber água, pois tinha uma sonda nasogástrica pendurada no meu nariz que indicava aos médicos que eu não podia comer e nem beber. Minha esposa e as técnicas em enfermagem se revezavam em molhar meus lábios, que pareciam estar anestesiados, com uma gaze. A garganta estava uma secura só. Foram dias longos e noites e noites em claro. Mas, o SENHOR estava comigo.


Na enfermaria

Foram cinco dias na UTI, até que, passei para outra etapa: a enfermaria. Lá convivi com outros pacientes, onde, do SENHOR, pude buscar forças para brincar com os companheiros de quarto e, principalmente, falar da palavra. Devagarzinho, comecei a beber água que há dias não podia beber, bebi também aquela água de coco que tanto desejei, depois sucos, comida pastosa, comida normal... Quando achava que já estava quase me recuperando eis que comecei a ter febres constantes e o pior ocorreu, a cicatriz do corte cirúrgico começou a minar secreção e passei a sentir dores próximas ao local da cirurgia. Fui submetido a uma tomografia que revelou inflamação do local e surgimento de dois novos problemas.


A segunda cirurgia, o terceiro livramento

A equipe médica não teve dúvidas e me encaminhou para uma segunda cirurgia. Mais uma vez os irmãos intercederam perante o SENHOR, ele ouviu as orações e a segunda cirurgia, assim como a primeira, foi um sucesso. E o melhor é que não precisei retornar a UTI, tendo sido encaminhado de volta à enfermaria. A sonda nasogástrica teve de ser recolocada. A dieta voltou ao zero, sem comida nem bebida. Voltei ao soro e à alimentação parenteral. Mas, os dias se passaram e, graças a Deus, pude receber a tal almejada alta há exatamente um mês atrás.


Vou sobreviver

Foram dias difíceis, mas, graças a Deus, por ter retornado ao meu lar e estar em plena recuperação. Algumas lições pude tirar de toda essa situação. Jesus salvou minha vida, não canso de dizer. Dou graças a Deus pela vida da minha esposa que teve forças do SENHOR para me acompanhar durante todo o processo, agradeço aos irmãos que revezaram com ela como meus acompanhantes no hospital, que oraram, a todos que me visitaram (inclusive colegas de trabalho) e a todos que, de alguma forma ajudaram, principalmente, a família de minha esposa. Que Deus abençoe ricamente a todos.

Durante uma das visitas, uma irmãzinha trouxe em seu celular um cântico, que segundo ela tem tudo a ver comigo. "A tempestade passou mas a promessa ficará pra sempre". Aleluia! Gostaria de finalizar deixando o clipe do referido cântico "Vou sobreviver", do Ministério Além do Véu. Glorificado seja o nome do SENHOR. Aleluia!



Créditos: Youtube.com

2 comentários:

Gustavo Freitas disse...

Luis,
notei que estava ausente, mas acabei respeitando e não entrando em contato e agora sei o que aconteceu.
Deus seja louvado pela sua vida e pela experiência que fica.
Abraço amigo.

Luis Marcos Leite disse...

Valeu, Gustavo. Verdadeiramente Jesus é bom. Abs.

nRelate - Posts Only