sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Google lança seu navegador - Chrome

Google Chrome é o navegador de código aberto desenvolvido pela Google que chega para bater de frente com os browsers mais utilizados da atualidade, o Internet Explorer e Mozilla Firefox. O “GBrowser” chega ao mercado com uma proposta de ser limpo, simples e ainda mais fácil de usar.

Saindo dos quadrinhos

O anúncio do navegador chamou muito a atenção de todos os usuários de internet. Um suposto livro em quadrinhos chegou a residência do editor do blog oficial do Google, causando um grande fervor entre os internautas. Este livro foi digitalizado e encontra-se disponível neste link. O conteúdo está em inglês e descreve detalhadamente os processos técnicos do projeto.

Quais são as inovações?

Para tornar o desempenho do JavaScript mais rápido, o Chrome apresenta uma máquina virtual intitulada JavaScript V8. Este recurso foi totalmente construído para o navegador e poderá, posteriormente, ser disponibilizado para os demais navegadores. Com esta máquina, o carregamento de formulários e a própria utilização de ferramentas web em geral ficará muita mais rápido, tornando a navegação dinâmica.

As abas vieram com tudo

A navegação por abas é uma das funcionalidades mais usadas pelos usuários de navegadores. As “tabs” do Chrome chegam com um toque peculiar e especial. Saindo da tradicionalidade, ao abrir várias abas, estas se localizam na área superior da janela, e não embaixo da Barra de Endereços, como comumente são visualizadas.
Outro fator de destaque em relação às abas é que agora cada uma delas funciona como um “sandbox”, ou seja, elas trabalham independentemente. Sabe quando isso será útil? Imagine-se com dezenas de abas abertas e, de repente, um desses sites trava. O normal seria reiniciar o navegador por completo, entretanto, no Chrome, apenas esta aba que travou será fechada, não influenciando as demais.
Proteção contra as ameaças da internet
As tentativas de ataque phishing são constantes na internet. Para reduzir a probabilidade de cair em uma enrascada deste tipo, o Chrome faz uma atualização periódica com a lista de sites considerados perigosos, reduzindo a chance de infecção nas máquinas dos usuários. Contudo, segundo a própria Google, esta segurança redobrada pode apresentar falhas caso o usuário instale plugins adicionais no navegador.

Página inicial padrão

Quem já conhece o Opera (saiba mais clicando aqui) sabe como a página inicial dele funciona, o Chrome segue a mesma linha. Trabalhando como se fosse um termômetro da internet, a tela inicial do navegador mostra os sites mais visualizados. Com imagens em miniatura, você também poderá conhecer ou simplesmente acessar esses sites “top” em páginas visualizadas.
Ainda na tela inicial do Chrome é possível verificar um histórico com as pesquisas recentes feitas pelo usuário, controlando e até mesmo continuando uma busca feita anteriormente. Outro recurso disponível é uma relação com as páginas salvas nos Favoritos, bem como com as abas fechadas recentemente. Todos esses recursos facilitam muito a navegação, e ajudam o usuário a lembrar de algo que fez recentemente.
Velocidade surpreendente
Sites que possuam grande quantia de imagens ou que tenham seu conteúdo mostrado com a tecnologia Flash, em geral demoram muito para carregar, mas não é o que acontece com o novo Google Chrome. O navegador não precisa de nada especial para utilizar conteúdos em Flash, sendo necessário apenas já ter pré-instalado o plugin da Adobe, ou instalá-lo posteriormente.
Aparentemente, o “motor principal” de funcionamento do Mozilla foi bem aproveitado pela equipe da Google, pois na maioria dos casos ele apresenta um grande ganho no carregamento das páginas. Além do carregamento mais rápido, o Google Chrome utiliza um sistema diferente para trabalhar com a memória RAM do sistema. Abrindo vários processos, o navegador faz com que a memória do computador seja liberada com mais eficácia e maior velocidade ao serem fechadas diversas abas.

Sem Menus?

Os usuários que eram acostumados com o antigo sistema do Firefox podem estranhar o Google Chrome. O navegador que esconde os menus de opções, favoritos, e os demais, dificulta um pouco a localização e configuração das opções avançadas para os usuários que gostam de manter tudo personalizado.
Apesar da falta de menus, o navegador ainda permite a configuração avançada de suas funções. O navegador utilizou um meio diferente de acessar o menu, através de muita elegância ele permite ao usuário efetuar suas configurações através da chave de ferramenta.

Navegação anônima

Google Chrome tem um recurso bem curioso, chamado: navegação anônima. Como o próprio nome diz, este recurso serve para que você navegue tranquilamente e para que não tenha a preocupação de ter alguém bisbilhotando posteriormente nos sites em que você navegou.

Apesar do nome “anônimo”, não significa que os sites que você visite não saberão seu IP (endereço único de cada computador na internet). Na realidade é um modo voltado para usuários que procuram por privacidade, digamos que você deseja comprar um presente, mas o aniversariante utiliza o mesmo computador, simples, use o modo anônimo e esconda os sites visitados.

O recurso fica disponível no menu “folha”, e a opção que você deve acessar é a “Nova janela anônima”. Esta opção também pode ser acessada através do atalho: “Ctrl + Shift + N”. Lembra-se ainda que há grande semelhança entre este recurso e o modo “In Private” da nova versão do Internet Explorer 8.

Buscas mais rápidas

Suponha que você tenha efetuado buscas previamente no site de vídeos Youtube. Um dos recursos que o Google Chrome proporciona para agilizar mais a sua navegação é justamente relativo às buscas, ou seja, após a primeira visita, o navegador armazena o campo de buscas e facilita o processo para você. Para fazer buscas diretamente no mesmo site, você só tem de digitar o nome do site (neste caso: youtube) e então apertar a tecla “Tab”. Automaticamente o Chrome adiciona uma caixa de buscas na barra de endereços, e você só deve digitar o que deseja procurar.

Créditos: Baixaki

2 comentários:

Luis Marcos Leite disse...

Ah, fiz um pequeno teste comparativo entre os quatro browsers que tenho instalado em meu PC e achei o seguinte resultado:

Chrome:
- Uso de Memória RAM (MB): 17,9
- Uso máximo de CPU (%): 30

IE 6.0:
- Uso de Memória RAM (MB): 48,9
- Uso máximo de CPU (%): 44

Mozilla Firefox:
- Uso de Memória RAM (MB): 50,1
- Uso máximo de CPU (%): 87

Opera:
- Uso de Memória RAM (MB): 65,7
- Uso máximo de CPU (%): 98

Como meu PC é um simples Celeron D de 2.66GHz, 1GB RAM e utiliza 600Kb de Banda Larga, resolvi adotar o Chrome como meu browser principal, por ser mais adequado ao meu hardware e até porque quero testá-lo. Como segunda opção fico com o Mozilla,face aos inúmeros recursos oferecidos por este.

Laura disse...

Oi, Luis Marcos,

Estou usando o Chrome no meu trabalho e estou gostando muito, pois lá só tem o Iexplorer, que odeio! heheh, mas aqui em casa, que tenho o firefox no ubuntustudio e kurumin, até quis instalar aqui, mas pelo que vi ainda só tem pra Window$$$, tudo bem, adoro Firefox mesmo, heheh.

Gostei muito da dica de navegação anônima, obrigada pela postagem.

A respeito da metareciclagem, tive que interromper as atividades momentaneamente, pois voltei a trabalhar e estou estudando pra concurso, mas voltarei assim que puder.

Obrigada pela visita!

nRelate - Posts Only