quarta-feira, 27 de maio de 2009

Salmo 24 - Do Senhor é a terra e a sua plenitude, parte 4



"Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente. Este obterá do Senhor a bênção e a justiça do Deus da sua salvação" Sl 24:4-5

Será abençoado, salvo e declarado inocente no julgamento do Senhor todo aquele que:

- é limpo de coração: aquele que é correto nos seus atos, no seu agir.

- é puro de coração: aquele que é sincero, sem malícia, sem hipocrisia para com Deus e com o próximo.

- não entrega sua alma à vaidade: na tradução Revista e Atualizada de João Ferreira de Almeida, o termo empregado é falsidade. Em hebraico, falsidade significa o que é vago ou vão e, portanto, falso ou enganoso (Ex 23:1; Jó 15:31). Nos salmos e nos escritos proféticos, é aplicado aos ídolos pagãos por serem deuses "vãos" ou vazios (Is 44:9; Jr 10:3, I Co 8:4, I Ts 1:9 (Conforme Bíblia de Estudo Almeida, 1999).

- não jura enganosamente: o que não faz promessas falsas. (Mt 5:37)

A Jesus pertence todo o julgamento (Jo 5:22). Não há como escapar daquele que sonda as mentes e os corações (Ap 2:23) e um dia todo joelho se dobrará e toda língua irá confessar que Ele é o Senhor para a glória de Deus Pai (Fp 2:9). Portanto, necessário se faz ser santo porque o Senhor é santo (I Pe 1:16).

Veja também:
Salmo 24 - Do Senhor é a terra e a sua plenitude - Parte 1  
Salmo 24 - Do Senhor é a terra e a sua plenitude - Parte 2
Salmo 24 - Do Senhor é a terra e a sua plenitude - Parte 3

Salmo 24 - Do Senhor é a terra e a sua plenitude - Parte 5
Salmo 24 - Do Senhor é a terra e a sua plenitude - Parte 6
Salmo 24 - Do Senhor é a terra e a sua plenitude - Parte 7

nRelate - Posts Only