terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

O Sal da terra

duna de sal

Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens. Mt 5:13

Ser discípulo do Senhor Jesus é ser como o sal. O sal, como se sabe, serve para dar gosto aos alimentos e também serve para conservá-los.

A palavra de Deus é o alimento (Mt 4:4), que dá energia, sustenta e dá vida ao espírito do homem.

O discípulo deve ser aquele que “tempera” a palavra, enriquecendo-a, a qual deverá estar repleta de instruções, conselhos, louvores, ações de graças, tornando-a assim, agradável (Cl 3:16; Cl 4:6).

Assim como o sal que possui a propriedade do sabor, que é uma capacidade de impressionar um dos cinco sentidos: o paladar, as palavras proferidas pelo  servo de Deus também têm de ter a capacidade de impressionar um dos sentidos: a audição, e como já se é sabido, é através do ouvir que a fé é ativada:

“A fé é pelo ouvir e ouvir a palavra de Deus”. (Rm 10:17)

“Palavras que edifiquem e assim transmita graça aos que ouvem” (Ef 4:29)

Outra função do discípulo ao ser sal é de conservar a palavra, mantendo-a livre de qualquer contaminação (sofismas, más interpretações, achismos, invenção de homens, etc) pois a palavra é puríssima (Sl 119:140) e não se mistura à linguagem do mundo.

Que o Senhor nos abençoe e possa nos dar toda a capacitação que precisamos para sermos o sal da terra a  fim de que não sejamos imprestáveis, inúteis na obra, descartados por Ele, nem tampouco sermos pisados pelos homens. Amém.

Nenhum comentário:

nRelate - Posts Only